domingo, 16 de Dezembro de 2012

Olá!... cá estou a actualizar o poema, obrigada pela vossa participação, espero que não se cansem de enviar os vossos versos...
Desejo-lhes um Feliz Natal e que o Ano de 2013 seja melhor do que aquele que nos querem oferecer... vamos acreditar em nós!... somos um grande POVO...

Um Abraço,

21.Dez.2012

A Idoneidade das Palavras

Há poucas palavras...
seguem em contradições outros... ainda
soltas... leves em segredo,
Nesta vida de coisas fúteis
Nado, rodopio, procuro.
O sonho me acompanha
certamente é fantasia...!
Que parece ingratidão
Na melancolia do sonho
Ando, cambaleio no espaço
Na consciência profunda
registadas estão elas
deste mundo de pecado
vagueiam, vagueiam sem pensar
Objectivos não os há
Que a mensagem é o amor
A flor desabrocha
Todos se envolvem
nas suas palavras nostálgicas
Há sonho, há esperança
que p´ra todos poderia ser promissor
seguinos e os sonhos conquistamos
Somos... livres

A Idoneidade das Palavras

Ajude a escrever o poema, transcrevendo o seu verso











domingo, 25 de Setembro de 2011

Pedras Escritas_Convívio no dia 21 de Setembro 2011

Caras Amigas!...

Venho deste modo agradecer a vossa presença... especialmente à juventude que esteve presente e connosco quiz partilhar este sentimento, que será um "pequeno" sonho de uma geração, que se quer reunir para dizer aos homens, que a PAZ deveria ser o primeiro objectivo na governação do mundo.
Neste dia estivemos quatro gerações, foi fantástico e muito bonito.

O Jantar realizou-se no ambiente muito acolhedor, o restaurante foi muito bem escolhido, PSI Vegetariano, foi aqui que quisemos voltar para comemorarmos um ano da viagem das pedras escritas.
Não sabemos onde andam, o que importa é que proporcionaram mais um encontro, conseguindo que a palavra de AMIZADE e PAZ fosse passada.

As pedras da nossa terra foram também um canal de comunicação, foram elas protagonistas, e proporcionaram o contacto com outras pessoas ali presentes, o ambiente foi simbiótico.

Foi o DIA INTERNACIONAL DA PAZ... que nos fez unir, neste acto tão simples e tão importante. As pedras são o materializar do sentimento dos que têm participado nestes encontros.
Como nestes nossos convívios, a pedras estão associadas à PAZ, estou certa que elas serão um argumento para futuros  encontros.

Todos os dias são de PAZ, nós estamos certas que sim!... mas o homem necessita de criar simbolismos, e então?... cá temos este dia que é neutro, criado pela ONU, o qual podemos utilizar como protexto para nos encontrarmos e nela pensar de outro modo.
No nosso dia-a-dia, esquecemo-nos que poderíamos, de uma forma simples, usufruir da PAZ que o planeta nos presenteia gratuitamente, sem nada pedir em troca, mas que não sabemos aproveitar.
Mas ela, ainda não existe porque o ser humano ainda tem uma dose muito forte de orgulho, mesquinhês e ódio...
Não somos nós que iremos mudar este mundo, que está a ser tão cruel, para todos mas, especialmente para os mais desprotegidos, se contribuirmos um "pouquinho" com a nossa mudança interior, e substituirmos agitação por acalmia, orgulho por submissão, arrogância por humildade, estamos em condições de esperar que o nosso próximo altere o seu comportamento...

Assim... sim! poderemos mudar o MUNDO e ele ser, para as gerações que nos são vindouras, um lugar de ampla HARMONIA.

OBRIGADA!...
A todas, e a todos, pela presença  no convívio assim como pelas mensagens, que são tão gratificantes.

















domingo, 26 de Setembro de 2010

O Jantar para a viagem da Pedras Escritas

O jantar foi realizado no Restaurante Vegetariano PSI, em Lisboa. Estiveram presentes nove amigas, uma não pode estar por questão de força maior.
Decorreu como eu tinha programado, muito tranquilo, as Pedras Escritas foram entregues, a missão seguinte será de quem as possuir, espero que as passem, porque foram escritas com esse objectivo.


Muito obrigada pela disponibilidade, em primeiro destas minhas amigas e, a seguir, de todos os que tenham a gentileza de dar continuidade a esta ideia.









BEM HAJA!...

segunda-feira, 20 de Setembro de 2010

Pedras Escritas


 PEDRA
Neste percurso misterioso, que é a vida do HOMEM, verificamos que na sua evolução, a mesma tem estado associada à pedra, sabe-se também, que desde os tempos mais remotos (Períodos: Paleolítico, Mesolítico e Neolítico) o homem vivia em cavernas.
Para sobreviver, lei natural da vida, caçava, pescava e colhia frutos e raízes, claro com instrumentos por si moldados. As ferramentas e as armas que usava eram feitas de sílex, um tipo de rocha, que lascava e polia. Na estrutura temporal estávamos no período Mesolítico.
Este comportamento demonstra que o homem já possuía um desenvolvimento intelectual. Foi a pedra, mais uma vez que lhe permitiu subir um patamar na escala da socialização, foi com a descoberta do fogo, no período Neolítico que, ao dominá-lo conseguiu consumir carne cozinhada.
Supõe-se que o homem da Idade da Pedra comunicava através dos desenhos gravados nas paredes das cavernas, Gravuras Rupestres, esta suposição baseia-se no facto do homem deste período ser nómada e ao migrar, para procurar os alimentos, deixava os seus registos.
Deste modo, salienta-se os registos existentes em Portugal, no Vale do Côa, onde podemos observar Gravuras, que remontam a 20 000 a.C. (Período Paleolítico). Estas reservas históricas permitem-nos viajar no tempo, conhecer o nosso passado e compreender também o nosso presente.
Com tanto simbolismo, a pedra poderá ser uma via para difundir, a vontade de muitos, a PAZ, uma vez que tem transportado ao longo de milhares de anos esta “carga” tão intensa de mensagens.
Neste contexto, fez-se uma recolha de pedras na Praia da Foz do Arelho (Caldas da Rainha), no Cabo Carvoeiro (Peniche) e na Praia do Salgado (Nazaré) onde foi escrito o poema com o título "CARTAZ UNIVERSAL".
Assim, o "CARTAZ UNIVERSAL", pretende chegar o mais longe possível, com dez exemplares entregues a dez mulheres, no ano de 2010, no dia 21 de Setembro, DIA INTERNACIONAL DA PAZ, decretado pela ONU- Organização da Nações Unidas.

Transcrição integral do poema
CARTAZ UNIVERSAL
A PAZ procura-se ele diz
é o cartaz que percorre o mundo,
em letras universais
é urgente e profundo
Procura-se desapareceu
do mundo dos mártires... sem voz
volta, ele diz sofregamente
Procura-se porque se vendeu
vendeu-se ao armamento,
são as armas que queimam
com dor as almas das pobres gentes
Procura-se a PAZ 
como se fosse alquimia
ele diz Procura-se 
em todas as línguas sem magia
não se encontra, perdeu-se 
há milhões que não a querem
mas há biliões que acreditam
que todos o saberão ler,
ler e interpretar... é mensagem Universal
Procura-se a PAZ...
senhores que dominam o mundo
será que é tão difícil
de outra forma governar
baixai as armas e o poder
que tudo querem dominar
que a PAZ se instale
e que outras mentes perdurem...
São as mentes do bem em si mesmo
e no colectivo falar
falar e transmitir ao "Homem Novo"
que é preciso mudar
e simplesmente olhar p´rás palavras
que todos sabem interpretar,
sem rancor, ódio e orgulho
não há cor de pele, raça ou religião
Há sim... o Ser que é simplesmente nosso irmão.
Ela está contida naquele cartaz prenúncio
PAZ.... para o MUNDO!...


Fotos das Pedras Escritas